Respeito pela Umbanda.

Respeito pela Umbanda…

O Terreiro de Umbanda é um Templo Sagrado e deve ser respeitado como tal por todos aqueles que nele adentrarem. Esse respeito se exige e se espera principalmente do corpo mediúnico do próprio Templo.
Apesar do toque dos atabaques e batidas de palmas, a sessão de Umbanda não pode ser considerada uma “festa”. O Médium deve estar concentrado e focado em sua missão, permitindo que suas entidades possam se manifestar e cumprir a missão à que foram designadas.
O respeito e a concentração devem existir em todas as sessões, independentemente da Linha que será trabalhada. Muitas pessoas acreditam que pelo fato de linhas com a de Baianos, Crianças, Marinheiros, etc., trazerem alegria, não precisam dedicar o mesmo respeito e concentração que é destinada as Linhas tidas como sérias, como por exemplo, a de Caboclos e Pretos Velhos.
Trata-se de erro grave.
Todas as linhas merecem o mesmo respeito e a mesma concentração do médium, pois todas elas são manifestadas por espíritos de luz, que vêm de Aruanda prestar auxílio a todos os necessitados, inclusive ao próprio médium.
Na Umbanda, o médium é o elo de uma corrente, a qual deve estar em perfeita sintonia. Se um dos elos está fraco e desconcentrado, toda a corrente sofrerá as consequências. O trabalho fica mais “pesado” e vulnerável a manifestação de “kiumbas”.
Por tal razão, o médium ao adentrar ao terreiro, deve se preocupar unicamente com seu progresso espiritual e deixar para o lado de fora todo e qualquer assunto ou comentário estranho ao seu desenvolvimento.

Além disso, para um bom andamento dos trabalhos, o médium deve evitar:
– conversas paralelas durante a sessão;
– risadas e brincadeiras;
– cruzar os braços e encostar-se a parede;
– saídas desnecessárias e exageradas (cozinha, banheiro, etc.);
– desconcentrar o irmão que está ao lado;

Entre outras atitudes que geram desconcentração e acabam por atrapalhar o seu progresso e o progresso de toda a casa.
O médium umbandista, deve ainda ter muito cuidado com a vaidade, orgulho e a pressa. São vícios que o afastam da verdadeira missão e impedem o progresso espiritual.
A vaidade e o orgulho fazem com que o médium se sinta o melhor médium existente dentro da casa. Acredita que apenas suas entidades são capazes de resolver este ou aquele problema; questiona ensinamentos superiores; não valoriza o que as outras entidades e chefes da casa ensinam; usa aparatos desnecessários e chamativos, apenas para satisfazer seu próprio ego, entre outras coisas.
A pressa faz com que o médium queira “se formar” logo. Em menos de 3(três) anos de terreiro, já força seus guias que ainda estão em aproximação, riscar pontos, usar bengalas, enfeites, bicos (no caso da linha de criança), etc.
O médium deve entender que a mediunidade é algo a ser trabalhado a longo prazo e não em poucos meses. A pressa faz com que a entidade fique “engessada”, ou até se afaste, pois o médium está atendendo suas próprias vontades e não a vontade do guia.
Por isso, o médium deve ser paciente e deixar que seu desenvolvimento ocorra naturalmente. Pois, nenhuma entidade gostaria de usar um “aparelho” com vícios, pois sua missão não seria alcançada.
O desenvolvimento mediúnico é a preparação do médium para começar a cumprir seus objetivos espirituais. E , ao contrário do que muitos pensam, ela não se encerra com a coroação. Na verdade, após a coroação é que a batalha começa de verdade, pois, analogicamente, o soldado deixa de ser um mero aprendiz e assume o fronte.
Desse modo, nós, médiuns umbandistas, devemos procurar nos livrar de todos os vícios que maculam nosso progresso espiritual, a fim de colaborar com o bom andamento das sessões, buscando nossa evolução e evolução de nosso Templo, para que ele seja repleto de luz e harmonia. Evitando ser o autor de atos e atitudes que gerem desconcentração e que desvirtue os objetivos reais de cada sessão. Só assim, poderemos, de fato, ajudar a nós mesmos e aqueles que procuram auxílio. A Umbanda não é brincadeira!
Pensemos nisso, a Umbanda precisa de nós e não podemos decepcioná-la!

 

”Um dia você entrará pela porta de um terreiro e se sentirá tão gigante, tão forte, de um tamanho indescritível, de uma forma que você jamais se sentiu, como se seu corpo tivesse expandido de tal maneira que não fosse caber na entrada. Gigante de alma, de força, de fé, de coragem, pois grandes coisas podem acontecer aqui neste lugar.
Um dia você se verá chorando na tempestade, sem saber o que fazer, o desespero tomará conta de grande parte de seu dia, e tua vida não terá muita direção.
Neste dia, então você firmará uma vela pra um alguém que você ainda não conhece, mas que te conhece muito bem e sabe de todas suas provações e medos.
Este alguém enxugará suas lágrimas, guiará seus passos, te trará paz e esperança e te fará entender o quão maravilhoso é fazer parte deste mundo de pés descalços, de ponto cantado, de axé, alegria, de luz, verdade e acima de tudo de espiritualidade. Um mundo dos pretos velhos, caboclos, exus, baianos, um mundo que te fará certamente um alguém melhor, um ser humano mais sábio pra entender o que realmente vale a pena na vida.
Neste mundo, não há espaço para orgulho e vaidade, aqui seu coração repousa, faz guarida e quer morar. Este mundo nos faz refletir o quão pequenos somos quando olhamos para coisas insignificantes que em nada acrescentam ao nosso ser…pq de fato importante é quem somos e quanto podemos aprender com os ensinamentos dos nossos irmãos da espiritualidade.
Nos tornar seres humanos minimamente evoluídos, fazer o bem e sermos gratos sempre, é isso e muito mais que você aprenderá aqui, e se não aprender, observe…Você pode não estar fazendo alguma coisa que deveria fazer, ou fazendo algo totalmente diferente do que é ensinado aqui dentro pra você.
Um dia você adentrará no terreiro e terá a certeza que não chegou aqui por acaso, mas que tudo conspirou para você chegar até aqui, que seus passos foram minuciosamente guiados, sem você ao menos saber e agradecerá por isso, pois tudo tem uma razão de ser, que deus delineou muito bem pra você.
Um dia, uma entidade vai abraçar sua alma e acalentar seu coração, de uma forma que nenhum abraço jamais conseguiu fazer, e irá te dizer” filho fica em paz, tudo vai dar certo, estou contigo durante toda sua caminhada, há uma legião dos meus ao seu lado, tenha fé”.
Agora por exemplo, você pode não estar percebendo mas há uma legião aqui dentro, orando por você, guardando seus medos, angústias e pensamentos. Eles te pedem calma, pois tudo ficará bem…t Ouça esta voz, acredite, tenha fé e nunca se esqueça: grandes coisas vão acontecer neste lugar.
Tudo isso e um pouco mais é a umbanda.
Umbanda é muito mais que uma religião, umbanda é percepção.
Umbanda é percepção de vida, é união, fraternidade, caridade, verdade e fé.
Umbanda é sobretudo transformação.
Por isso, seja Umbanda, Transforme -se com a Umbanda, Transborde Umbanda,
Seja grato sempre, e acredite: Grandes coisas vão acontecer neste lugar,
Axé a todos!”

(Autor desconhecido

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.