Consultas e Atendimentos Espirituais

Conheça a diferença entre consulta e atendimento espiritual.

Muito se fala sobre consultas espirituais mas poucos explicam como funciona de fato.

A consulta pode ser realizada de duas formas distintas dentro da gira ou fora da gira de desenvolvimento mediúnico.

Entenda o que é gira, e como acontece.

Leia o texto abaixo:

Como acontece a Gira

A Gira, sessão espírita da Umbanda, começa com o medium líder, que é chamado Babá, Pai de Santo, Mestre entre outras denominações, defumando e enfumaçando os seguidores e firmando o Congá. Firmar o Congá é encher taças com água, para condensar energia, acender sete velas, uma para cada Orixá e fazer uma oração mental "edificante". Depois, "firma a Tronqueira da casa" acendendo uma vela e servindo cachaça para o Exú chefe. Outro sincretismo da "religião original", posto que no Candomblé, mais antigo, todos os rituais começam com oferenda a Exú, aquele que é intermediário entre homens e Orixás. A seguir, mais fumaça nos consulentes.

Os mediuns vestidos de branco posicionam-se, em relação ao Congá: mulheres à esquerda; homens à direita e os consulentes sentados. O medium-chefe, então, pede a proteção dos Orixás e das entidades e faz uma palestra de abertura para sintonizar a platéia com vibrações positivas. Começam os pontos cantados e os mediuns, incorporando os Eres, os espíritos de "crianças" para fazer o atendimento espiritual.

Encerradas as consultas, após 10 minutos de intervalo, começa outra Gira que deverá convocar os espíritos dos caboclos, novamente embalados pelos cantos. Com os caboclos, mais fumaça, porque estas entidades gostam de charutos. Repete-se o intervalo que precede a terceira sessão: a Gira dos Pretos-Velhos, que preferem fumar em cachimbos. Finalmente, procede-se à Gira dos Exús que também são fumantes de charutos e têm a função de cumprir as determinações deliberadas nas Giras anteriores, ou seja, fazer o serviço. Como já foi mencionado, existem também as Giras internas, fechadas ao público, destinadas aos adeptos que precisam "desenvolver a mediunidade", estudar a "doutrina" ou, ainda, para a limpeza espiritual da Tenda.

Gira de Umbanda:


é um termo cujo significado é sessão umbandista, com cânticos, danças, rezas e passes magnéticos fluidificados. As giras internas são fechadas para os que estão se iniciando na religião, desenvolvendo a mediunidade; as giras externas, abertas ao público, destinam-se à promoção de curas e resolução dos mais diferentes problemas.

O desenvolvimento Mediúnico.

A gira de desenvolvimento Mediúnico visa desenvolver não só o contato com as outras esferas, mas antes desenvolver e aprimorar suas próprias capacidades internas, melhorando seu relacionamento com o seu semelhante e com o mundo que o cerca .

è no desenvolvimento que o médium aprende que a mediunidade não é brincadeira, é tão séria que chega interferir na vida do médium em seus aspectos mais profanos, o fato de alguém ser médium não quer dizer em absoluto q seja melhor do que os outros pelo contrário,

Existe deveres e obrigações a serem cumpridos perante a comunidade.

è necessário que se adaptemde forma disciplinada e responsável ao meio que se vive.

Hierarquia dentro dos Terreiros de Umbanda

Dentro dos terreiros de Umbanda existe organização e disciplina, além de todo um sistema que objetiva manter esta organização, alguns terreiros, dependendo do tamanho dividem-se em parte administrativa e espiritual.
Estaremos discorrendo agora a respeito dos cargos dentro da hierarquia espiritual mais comumente encontrados nos Terreiros de Umbanda:


Babalorixá ou Ialorixá
É o dirigente do terreiro (Babalorixá se for homem e Ialorixá se for mulher).
Esta figura é a responsável espiritual por tudo que acontecer dentro da gira (antes, durante e depois). Tanto o Babalorixá quanto a Ialorixá são também chamados de Pai no Santo e Mãe no Santo. Algumas pessoas falam pai de santo e mãe de santo, consideramos essa maneira incorreta, pois é na Lei do Santo que eles são Pai e Mãe.
Eles têm a função de cuidar e zelar da vida espiritual dos médiuns do terreiro, orientar e dirigir os trabalhos abertos e fechados a público. São os responsáveis por fazer cumprir as diretrizes estabelecidas pelo Astral, para o Terreiro.


Pai Pequeno e Mãe Pequena
São os futuros Babalorixá e Ialorixá. São a segunda pessoa dentro de um Terreiro de Umbanda. Têm como função auxiliar o Babalorixá e a Ialorixá em todos os trabalhos. Outras funções específicas variarão de terreiro para terreiro.


Médiuns de Trabalho
São os médiuns que dão consulta, as suas entidades já riscaram ponto, deram nome, e passou por alguns preceitos (isto também varia de terreiro para terreiro) que os firmaram como médiuns. Alguns chamam de Médiuns prontos, outros de Médiuns batizados outros de Médiuns feitos. Essa nomenclatura também varia de acordo com a orientação do Babalorixá ou Ialorixá, da raiz da Casa ou ainda de estado para estado.


Médiuns em Desenvolvimento
São médiuns que como o nome já diz, estão em desenvolvimento. Dependendo do terreiro eles podem dar passes, já incorporam uma ou outra linha, mas ainda não dão consultas e as suas entidades ainda não deram nome ou não riscaram ponto. Estão sendo preparados para tornarem-se médiuns de trabalho.


Médiuns Iniciantes
Também como o nome diz, são médiuns que ingressaram a pouco tempo no terreiro e ainda não incorporam. Cambono (homem) e Samba (mulher).São os responsáveis por atender as entidades, no que diz respeito a acender charutos, velas, cachimbos, esclarecer a assistência o que a entidade está querendo dizer, coordenar a entrada da assistência para consulta ou passe.


Transa
É a pessoa responsável por distribuir as fichas de atendimento (quando o caso) e coordenar a entrada da assistência. Muitas vezes, dependendo do tamanho do terreiro acumula função de cambonagem.


Curimbeiro, Tabaqueiro ou Ogã
É a pessoa que bate (toca) o tambor. Na realidade na Umbanda, a concepção de Ogã é totalmente diferente do Candomblé e do Omolocô, onde a pessoa é preparada especificamente para esse fim. Não estaremos discorrendo sobre os diferentes preparos pois não é função deste SITE falar de outros credos. Mencionamos apenas a título de curiosidade.
A função do tambor é a de ajudar na invocação das Entidades, deve ter toques harmoniosos e

diferenciados para cada Linha.

Curimba é o nome que damos para o grupo responsável pelos toques e cantos sagrados dentro de um terreiro de Umbanda. São eles que percutem os atabaques (instrumentos sagrados de percussão), assim como conhecem cantos para as muitas “partes” de todo o ritual umbandista. Esses pontos cantados, junto dos toques de atabaque, são de suma importância no decorrer da gira e por isso devem ser bem fundamentados, esclarecidos e entendidos por todos nós.

Muitas são as funções que os pontos cantados têm. Primeiramente uma função ritualística, onde os pontos “marcam” todas as partes do ritual da casa. Assim temos pontos para a defumação, abertura das giras, bater cabeça, etc.

Temos também a função de ajudar na concentração dos médiuns. Os toques assim como os cantos envolvem a mente do médium, não a deixando desviar – se do propósito do trabalho espiritual. Além disso, a batida do atabaque induz o cérebro a emitir ondas cerebrais diferentes do padrão comum, facilitando o transe mediúnico. Esse processo também é muito utilizado nas culturas xamânicas do mundo afora.

Os pontos transformam – se em “orações cantadas”, ou melhor, verdadeiras determinações de magia, com um altíssimo poder de realização, pois é um fundamento sagrado e divino. Poderíamos chamar tudo isso de “magia do som” dentro da Umbanda.

A Curimba também é de suma importância para a manutenção da ordem nos trabalhos espirituais, com os seus pontos de “chamada” das linhas, “subida”, “firmeza”, “saudação”, etc. Entendam bem, os guias não são chamados pelos atabaques como muitos dizem. Todos já encontram – se no espaço físico - espiritual do terreiro antes mesmo do começo dos trabalhos. Portanto a curimba não funciona como um “telefone”, mas sim como uma sustentadora da manifestação dos guias. O que realmente invoca os guias e os Orixás são os nossos pensamentos e sentimentos positivos vibrados em vossas direções. Muitas vezes ao cantar expressamos esse sentimentos, mas é o amor aos Orixás a verdadeira invocação de Umbanda.

ID


Dando continuação sobre consulta dentro e fora da gira de Umbanda.

Alguns terreiros, centros e tendas de umbanda tiram um dia na semana pra abrir suas giras de desenvolvimento mediúnico, costumam abrir ao publico, o que é chamado de sessão aberta ao publico.

As pessoas que vão pra assistir essa gira ficam na assistência,lugar reservados aos visitantes que vão assistir a gira e passar por passes ou consultas as entidades que ali se encontram  incorporadas trabalhando.

No decorrer da gira, a um momento que os guias interrompem a gira, para dar Passes e atender os consulentes da assistência.

Forma se uma fila, e as pessoas são atendidas pelas entidades.

Geralmente são os preto velhos que dão os passes ou Benzimentos,

( isso pode mudar conforme a linha a consulta pode ser com caboclo, baianos, boiadeiros,erês, Marinheiros, Ciganos, exus e pombas Giras).

e nesse momento que a pessoa comenta sua situação,pede auxilio, as vezes faz pedidos específicos ( tipo: Preciso de um trabalho, preciso de que haja paz em casa, preciso ajuda pra um familiar com problema de saúde,preciso se livrar de um bloqueio emocional, preciso de um(a) namorado(a), enfim uma infinidade de coisas.

Muitos levam uma peça de roupa , fotos de outra pessoa pra benzer.

Os pretos velhos realizam o benzimento e conforme a situação por eles vista recomendam, aos consulentes que façam banhos de ervas, com o propósito de limpeza de corpo e descarrego de más vibrações, recomendam acender velas e a fazer  orações.

E em algum casos recomendam que a pessoa retorne ao centro ( terreiro ou tenda de Umbanda) em outro dia onde não estará ocorrendo uma gira para um atendimento espiritual, pois na gira o tempo é muito curto, acaba sendo mais uma triagem do que uma consulta, ou seja o guia identifica o problemas diz o que pode ser feito pra solucionar a demanda em questão, mas em função da gira estar em andamento adia a conversa pra outro dia.

O atendimento fora da gira funciona da seguinte forma, a pessoa marca a consulta, geralmente quem determina o dia e hora da consulta é o dirigente do Centro ( Pai ou Mãe de Santo).

O atendimento fora da gira  ou Atendimento Espiritual é realizado no centro,

muito diferente da consulta na gira onde está ali presente a os médiuns , Atabaqueiros( pessoal da curimba responsável pelo toque dos atabaques e Puxada de Pontos Cantados) , Pai e Mãe pequena e a assistência (visitantes em busca de consulta).

é uma consulta particular onde a entidade que recomendou o atendimento terá mais tempo pra conversar, esclarecer duvidas.

um exemplo suponhamos que a pessoa em consulta esteja passando por um processo injusto na justiça, onde a pessoa realmente é inocente mas precise de ajuda pra provar sua inocência e se livrar do processo em qestão.

geralmente nesses casos se recomenda fazer um oferenda a Orixá Xangô ( orixá da Justiça).

Suponhamos que a pessoa em consulta esteja desempregada a muito tempo com seus caminhos fechados muitas vezes se recomenda banhos, orações e acendimentos de velas ao Orixá Ogum para abertura de caminho.

E por ai vai são centenas de motivos e situações que levam um pessoa procura ajuda espiritual.

O centro Pai João de Angola, não desenvolve giras de desenvolvimento mediúnico.

O atendimento aqui é particular.

 

Cada Centro é uma escola diferente.

E cada um tem seu jeito próprio de Manutenção.

Os que desenvolvem giras cobram de seus médiuns mensalidade, para arcar com as desprezas da casa.

Um centro é como uma casa e como toda casa tem suas despesas fixas, se tem sede própria, pagam IPTU, ( se é alugado, pagam pelo espaço). Sem falar na água, Luz, telefone, internet se tiver, materiais de limpeza, materiais de trabalhos, velas ,oferendas etc..

Uns adotam não cobrar consultas, esperam por doações, outros cobram consulta mas não cobram mão de obra nos trabalhos executados.

enfim não cabe aqui julgar ninguém, cada um sabe como funciona sua casa.

Como se diz no candomblé: " Cada um que cozinhe nas suas Panelas"

No centro Pai João de Angola, é cobrado a consulta.

Um centro não sobrevive de brisas e orações.

Muitas vezes as pessoas ligam e pedem consultas quando informadas que não é gratuita se ofendem,

Uns vão mais longe e sintam o famoso:" Dai de graça o que de graça recebemos"

Nós damos nosso tempo, nossa dedicação, nosso conhecimento ,nossa experiência e fè.

Mas infelizmente o Centro Pai João de Angola sobrevive de Consultas e doações.

Não temos filhos de Santos, pois não desenvolvemos mais giras, não recebemos patricionio de ninguém.

Não fazemos do site uma fonte de renda, não vendemos nada,não temos anunciantes.

Esse site é mantido e  hospedado , desde 13/03/2009 com recursos próprios do centro.

Não  geramos receitas por cliques.

Desde o inicio a intenção é a mesma informar, desmistificar e humanizar a Umbanda.

Um site neutro, sem propagandas, sem auto promoção, feito pra leigos, filhos de santo e simpatizantes da umbanda de um modo geral.

O atendimento do Centro Pai João de angola e de Segunda a sexta-feira das 09:00 as 19:00 horas.

O uso do telefone e celular  do Centro é restrito a dar informações sobre localidade e agendar consultas não usamos para bate papo.

Consultas somente com hora marcada.

A tolerância por atraso as consultas é de quinze minutos.

Não respondemos e-mails, mensagem de celular e não temos WhatsApp.

Realizamos a consulta as entidades, benzimentos e fazemos trabalhos pra diversos fins.

Telefones de Contato:

(44)3034-5827 ou (44) 99956-846.

liguem somente em horário comercial, após as 19:00 horas e nos fins de semana e feriados não atendemos ligações.

(Feliz dia dos pais)

Ser Pai de Santo é viver mil vezes em apenas uma vida, é lutar por causas perdidas, é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus atos.

Ser Pai de Santo é caminhar na dúvida cheio de certezas, é correr atrás das nuvens num dia de sol e alcançar o sol num dia de chuva.

Ser Pai de Santo é chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza, é cancelar sonhos em prol de terceiros, é acreditar quando ninguém mais acredita, é esperar quando ninguém mais espera.

Ser Pai de Santo é identificar um sorriso triste em uma lágrima falsa, é ser enganado e sempre dar mais uma chance, é cair no fundo do poço e emergir sem ajuda.

Ser Pai de Santo é se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas, é distribuir emoções que nem sempre são captadas.

Ser Pai de Santo é construir castelos na areia, vê-los desmoronados pelas águas e ainda assim construir outros.

Ser Pai de Santo é tentar recuperar o irrecuperável, é entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.

Ser Pai de Santo é estender a mão a quem ainda não pediu, é doar o que ainda não foi solicitado.

Ser Pai de Santo é ter a arrogância de viver apesar dos dissabores, das desilusões, das traições e das decepções.

Ser Pai de Santo é ser pai dos filhos dos outros e muitas vezes não ser dos seus, é amar igualmente e nem sempre ser amado.

Ser Pai de Santo é ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem, é desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos e fincar a bandeira da conquista em meio à derrota.

Ser Pai de Santo é entender as fases da lua por ter suas própria fases. É ser “nova” quando o coração está a espera de filhos de Santo, ser “crescente” quando estes filhos batem a sua porta, ser “cheia” quando já não cabe tantos filhos no Ilê e “minguante” quando muitos desses filhos vão embora cortando seu coração ao meio com injurias e falsas palavras.

Ser Pai de Santo é voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes coisas que nunca ficarão esquecidas.

Ser Pai de Santo é cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar as suas próprias feridas sangrando e doendo.

Ser Pai de Santo é chorar calado as dores de todo mundo e em apenas um segundo estar sorrindo.

Ser Pai de Santo é subir degraus e se os tiver que descer não precisar de ajuda, é tropeçar, cair e voltar a andar sozinho.

Ser Pai de Santo é acima de tudo um estado de espírito, é ter dentro de si um grande tesouro escondido chamado FÉ e ainda assim dividi-lo com o mundo, mesmo que o mundo não mereça, sem esperar nada em troca!

Reflexão:

Não adianta pedir Exu caminhos abertos se você vive preso na ignorância...
Não adianta pedir Pombo Gira um amor verdadeiro se você não se valoriza se entregando a qualquer um...
Não adianta pedir Ogum forças se você passa por cima do seu próximo...
Não adianta pedir Oxossí prosperidade se você olha para o morador de rua com cara de desprezo...
Não adianta pedir Oxum beleza se você humilha quem não é bonito...
Não adianta pedir Iemanjá tranquilidade se você faz inferno na vida dos outros...
Não adianta pedir Iansã bons ventos se você vive soprando maldade e intrigas na vida dos outros...
Não adianta pedir Nanã sabedoria se você humilha que não tem conhecimento...
Não adianta pedir Xangô justiça se você anda no caminho errado...
Não adianta pedir Omulu saúde se você não valoriza e cuida a sua...
Não adianta pedir Oxalá Paz se você faz só guerra..
Não adianta pedir aos caboclos verdade se você vive na mentira...
Não adianta pedir aos pretos velhos justiça se você vive espalhando injustiça...
Não adianta pedir as ibejadas alegria se você anda espalhando tristeza...
Não adianta pedir as entidades e os orixás aquilo que você não espalha para seu próximo...
Não esta gostando do que vêm colhendo, preste atenção no que anda plantando
Orixá não diz que um médium deve ser santo mas médium deve ser exemplo sempre...
O Bem vem quando você lança ele para o seu próximo então não adianta ficar apenas pedindo pedindo se você pede uma coisa e faz outra...Sua vida e espelho de suas atitudes...
Não adianta usar o branco da Umbanda se você vive a criticar os ensinamentos de outras religiões...
Não adianta ascender uma vela para pedir luz se você insisti em andar na escuridão da inveja...
Entidade ajuda o filho que se ajuda... Milagre acontece mas é preciso ter fé para o milagre acontecer...
Orixá não é instrumento de troca. Não funciona assim eu faço uma oferenda e ganho algo em troca...
A Umbanda oferece ao filho aquilo que ele oferece ao seu próximo. Quer paz semeie a paz, quer luz clareie os caminhos de quem anda na escuridão...
Servir é um aprendizado melhor do que pedir...

É AJUDANDO QUE SE É AJUDADO AXÉ!!!

NÃO ENCONTRO O QUE PROCURA USE BUSCADOR

Digite na caixa de pesquisa abaixo o que deseja encontrar no Site

Agradecemos sua visita Volte sempre....

 

 

Traduzir Esta Página


Av.na Sofhia Rasgulaeff  177.

Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná

Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463 

Consultas Somente com Hora Marcada.

Atendimento: de Segunda a sexta-feira

Das 09:00 as 19:00.

Não damos consultas via whatsapp 


"Que Ogum te Abençoe hoje e sempre".


Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.


Deste Site

Salve_a_umbanda,_salve_a_umbanda.mp3