Características dos filhos de Obá

Características dos filhos de obá

Dia: Quarta-feira
Cores: Marron raiado, Vermelho e Amarelo
Símbolos: Ofange (espada) e Escudo de Cobre, Ofá (arco e flecha)
Elementos: Fogo e Águas Revoltas
Domínios: Amor e Sucesso Profissional
Saudação: Obà Siré!

Obá é um Orixá ligado à água, guerreira e pouco feminina. As suas roupas são vermelhas e brancas, usa um escudo, uma espada e uma coroa de cobre.
0 tipo psicológico dos filhos de OBA, constitui o estereotipo da mulher de forte temperamento, terrivelmente possessiva e carente, é mulher de um homem só, fiel e sofrida. São combativas, impetuosas e vingativas.
Obá é um ORIXÁ que raramente se manifesta e há pouco estudo sobre ela.
Obá é a mulher consciente do seu poder, que luta e reivindica os seus direitos, que enfrenta qualquer homem – menos aquele que tomar o seu coração. Ela abraça qualquer causa, mas rende-se a uma paixão. Obá é a mulher que se anula quando ama.

Obá filha de Iemanjá e Oxalá. Em toda a África Obá era cultuada como a grande deusa protectora do poder feminino, por isso também é saudada como Iyá Agbá, e mantém estreitas relações com as Iya Mi. Era uma mulher forte, que comandava as demais e desafiava o poder masculino.

Embora Obá se tenha transformado num rio, é uma deusa relacionada ao fogo.

Obá é saudada como o Orixá do ciúme, mas não se pode esquecer que o ciúme é o corolário inevitável do amor, portanto, Obá é um Orixá do amor, das paixões, com todos os dissabores e sofrimentos que o sentimento pode acarretar. Obá tem ciúme porque ama.

O lado esquerdo (Osì) sempre esteve relacionado à mulher e, por uma razão muito elementar, é o lado do coração. Quando Obá é saudada como guardiã da esquerda, isso quer dizer que é a guardiã de todas as mulheres, aquela que compreende os sentimentos do coração, pois Obá pensa com o coração, por isso dança sempre com a mãe esquerda apontando para o lado esquerdo na latura da orelha, poder genitor feminino, rainha em África da sociedade Elecô, onde homem não entra, as grandes amazonas de Oba. Oba não conhece a cabeça de homem.
Ligadas a Oxóssi pela caça e grande arqueira, ligada a Xangô através do fogo a luta pela vida.

Como pode uma deusa ligada a esses sentimentos, dedicar-se à guerra? Toda a energia das suas paixões frustradas é canalizada por ela para a guerra, tornando-se a guerreira mais valente, que nenhum homem ousa enfrentar. Obá supera a angústia de viver sem ser amada.
Obá troca um palácio por uma cabana, troca todas as riquezas do mundo por uma frase: “Eu te amo”.

Características dos filhos de Obá

Os filhos de Obá não tem muito jeito para se comunicar com as pessoas, chegam a ser duros e inflexíveis. Têm dificuldade em ser gentis e estabelecer um canal de comunicação afectiva com os outros; às vezes são brutos e rudes afastando as pessoas. Isso deve-se ao fato de os filhos de Obá, na maioria das vezes, sofrerem um certo complexo de inferioridade achando que as pessoas que se aproximam querem tirar partido de alguma coisa. De facto, isso tende a acontecer com os filhos de Obá.

A sua sinceridade chega a ferir; expressam as suas opiniões, fazem críticas e acabam por magoar as pessoas, pois não se preocupam em ser agradáveis. Mas essa agressividade é puramente defensiva.
São bons companheiros e amigos fiéis, são ciumentos e possessivos no amor, por isso não têm muita sorte. Quando apaixonados, nunca são senhores da relação, cedem em tudo, abdicam de todas as suas convicções.

Algumas vezes infelizes no amor, investem todas as suas cartas nas suas carreiras e, de entre as mulheres que se destacam profissionalmente numa sociedade machista, podem-se encontrar muitas filhas de Obá excelentes juizas, advogadas, comandando quartéis, etc. Muitas vezes despertam a inveja dos seus inimigos e podem sofrer algumas emboscadas, por isso devem vencer a tendência que possuem para a ingenuidade.

Lendas

... obá versus ogum

Seu maior prazer era lutar. Seu vigor era tal que ela escolheu a luta e o pugilato como profissão. Obá saiu vencedora de todas as disputas que foram organizadas entre ela e diversos orixás. Ela derrotou Obatalá, tirou Oxossi de combate, deixou no chão Orunmilá. Oxumaré não resistiu à sua força. Ela desafiou Obaluaê e botou Exú prá correr. Chegou a vez de Ogum! Ogum teve o cuidado de consultar Ifá, antes da luta. Os adivinhos lhe disseram para fazer oferendas, compostas de duzentas espigas de milho e muitos quiabos. Tudo pisado num pilão para se obter uma massa viscosa e escorregadia. Esta substância deveria ser depositada num canto do terreno onde eles lutariam. Ogum seguiu, fielmente, estas instruções. Na hora da luta, Obá chegou dizendo: "O dia do encontro é chegado". Ogum confirmou: "Nós lutaremos, então, um contra o outro". A luta começou. No início, Obá parecia dominar a situação. Ogum recuou em direção ao lugar onde ele derramara a oferenda. Obá pisou na pasta viscosa e escorregou. Ogum aproveitou para derrubá-la. Rapidamente, libertou-se do seu pano e a possuiu ali mesmo, tornou-se, dessa maneira, seu primeiro marido.

... obá enganada por amor

Mais tarde, Obá tornou-se a terceira mulher de Xangô, pois ela era forte e corajosa. A primeira mulher de Xangô foi Oiá-Iansã que era bela e fascinante. A segunda foi Oxum, que era coquete e vaidosa. Uma rivalidade logo se estabeleceu entre Obá e Oxum. Ambas disputavam a preferência do amor de Xangô. Obá procurava, sempre, surpreender o segredo das receitas utilizadas por Oxum quando esta preparava as refeições de Xangô. Esta era jovem e elegante Obá era mais velha e usava roupas fora de moda. Nem chegava a se dar conta disto, pois pretendia monopolizar o amor de SÀNGÓ. Com este objetivo, sabendo o quanto SÀNGÓ era guloso, procurava surpreender os segredos das receitas na cozinha, utilizadas por OSUN quando preparava as comidas de SÀNGÓ. OSUN, irritada, decidiu pregar-lhe uma peça.

Um belo dia pediu-lhe que viesse assistir um pouco mais tarde a preparação de um determinado prato, que segundo ela disse maliciosamente, realizava maravilhas junto a SÀNGÓ, o esposo comum. Obá apareceu na hora indicada. Osún tendo a cabeça atada por um pano que lhe escondia as orelhas, cozinhava uma sopa, na qual boiava dois cogumelos. Osun mostrou-os a sua rival, dizendo-lhe que havia cortado as próprias orelhas e colocando-as para ferver na panela, a fim de preparar o prato predileto de SÀNGÓ. Este chegando logo depois tomou a sopa com apetite e deleite e retirou-se gentil e apressado na companhia de Osun.

Na semana seguinte era a vez de Obá cuidar de SÀNGÓ e ela decidiu por em prática receita maravilhosa. Cortou uma das orelhas e a cozinhou em uma sopa destinada a seu marido. Este não demonstrou nenhum prazer em vê-la com a orelha decepada e achou repugnante o prato que lhe serviu. Osun apareceu neste momento, retirou seu lenço e mostrou que as suas orelhas jamais haviam sido cortadas, nem devoradas, por SÀNGÓ. Começou então a caçoar da pobre Obá, que, furiosa, precipitou-se sobre sua rival. Seguiu-se uma luta corporal entre elas. SÀNGÓ, irritado, fez explodir seu furor. Osun e Obá, apavoradas, fugiram e transformaram-se nos rios que levam seus nomes. No lugar da confluência dos dois cursos de água as ondas tornam-se muito agitadas em consequência da disputa das duas divindades pelo amor de Xangô.

...Obá provoca a morte do cavalo de Xangô

Xangô era um conquistador de terras e de mulheres, vivia sempre de um lugar para o outro. Em Cossô fez-se rei e casou-se com Obá. Obá era sua primeira e mais importante esposa, Obá passava o dia cuidando da casa de Xangô, moía a pimenta, cozinhava e deixava tudo limpo.

Xangô era um conquistador de terras e de mulheres. Uma vez Xangô viu Oyá lavando roupa na beira do rio e dela se enamorou perdidamente. Com Oiá se casou, mas Xangô era um conquistador de terra e de mulheres e logo se casou de novo.

Oxum foi a terceira mulher. As três viviam às turras pelo amor do rei, para deixar Xangô feliz, Obá presenteou-lhe um cavalo branco, Xangô gostou muito do cavalo, Tempos depois Xangô saiu para guerrear levando Oiá consigo, seis meses se passaram e Xangô continuava longe, Obá estava desesperada e foi consultar Orunmilá, Orunmilá aconselhou Obá a oferecer em sacrifício um iruquerê, espanta-mosca feito com rabo de um cavalo, mandou pôr o iruquerê no teto da casa.

Para fazer a oferta prescrita pelo oráculo, Obá encomendou a Eleguá um rabo de cavalo, e Eleguá induzido por Oxum, mais que depressa cortou o rabo do cavalo branco de Xangô, mas não cortou somente os pêlos e sim a cauda toda e o cavalo sangrou até morrer.

Quando Xangô voltou da guerra, procurou o cavalo e não encontrou, deparou então com o iruquerê amarrado no teto da casa e reconheceu o rabo do cavalo desaparecido, soube pelas outras mulheres da oferenda feita pela primeira esposa.

Xangô ficou irado e mais uma vez repudiou Obá.

Notas bibliográficas
Mitologia dos Orixás - Reginaldo Prandi - 2001

Digite na caixa de pesquisa abaixo o que deseja encontrar no Site


Visite nosso Blog, click na imagem abaixo:

copyright© 2009-2017

Site desenvolvido por Centro Pai João de Angola- Todos os direitos Reservados.


Agradecemos sua visita Volte sempre....

Traduzir Esta Página

Endereço

Av. Dona Sofhia Rasgulaeff  177.
Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
Telefone:
(44) 3034-5827 (44) 99956-8463
Consultas Somente com Hora Marcada.
Atendimento: de Segunda a sexta-feira
Das 09:00 as 19:00 horas.
Não damos consultas:

 via whatsapp ou via E-mail.



Mapa google

"Que Ogum te Abençoe hoje e sempre".


Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.


Ao mestre com carinho

Oração a Pai João de Angola

Ogum

Oxum

Yansã

oracões

Xangô

Yemanjá

Oxossi

Oxalá

Oxumarê

Preto-velhos

Caboclos

Boaideiros na Umbanda

Baianos na Umbanda

Marinheiros

Pomba Gira

Maria Padilha

Oração de exu

Banhos de descarregos

Pontos Riscados de Exu

História de Rei Congo

Maria Redonda

Pontos Cantados diversos

Pontos Cantados Orixás

Galeria de Videos

Mensagem do Sr. Zé Pilintra

Pai José da Guiné

Exu Capa Preta

Exu 7 encruzilhadas

Exu Morcego

Mensagem de Pai joão de Angola

Histórias de Vovó Luiza

Atribuição dos Preto-velhos

Ogum Rompe Mato

Ogum Yara

A história de vovó Benedito

Oferenda de Oxum

Oferenda a Xangô

Oferenda de Ogum

Oferenda de oxossi

A Mediunidade, os orixás e os caboclos

Orações Diversas

Os filhos de Omulu

Mensagens de Natal

Porque os exus riem

Cigano Pablo

Cigana Esmeralda

Mensagem de Ogum

Altar virtual

Altar Virtual dos Orixás

Altar dos Preto-velhos

Altar de Nossa Senhora

Altar de ogum

Altar de Oxum

Altar de Exu

Videos de preto-velhos

Descubra o seu Orixá

Livro de Visitas

Livro de Visitas 2

10 erros cometidos por médiuns

A tristeza dos Orixás

Altar na umbanda

Amor palavra de ordem na gira

As falanges de trabalhos na umbanda

Assistência

Atitudes interiores

Bandeira branca de Oxalá

Cantos e palmas num terreiro

Como acontece a gira

Como ler ouvir observar e saber se aquilo é certo

Conduta Moral

Conduta no terreiro de umbanda

Conflitos

Conflitos Familiares

Cores e a umbanda

Cumprimentos e posturas

De olho Fechados

Deus não te Fez para sofrer

Deus salve a Umbanda

O dia de Finados na Umbanda

ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA

Entendendo a inveja

ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA

Expressões usadas na Umbanda

Exu não é fofoqueiro

Exu não é o diabo

Falta de doutrina e comprometimento

Faz caridade fio

Faz o bem sem ver a quem

Fumos e Bebidas

Fundamentação doutrinátoria

Guias e Colares

Hierarquia na Casa de Umbanda.

Humildade

Jogaram uma carga pesada pra cima de mim

Linha de Esquerda: "Exu e ´Pomba-Gira"

Mediunidade na Umbanda

Mediunidade, um passo de cada vez

Mensagem de Caboclo 7 Flexas

MIRONGA DE PRETO VELHO

NÃO ABANDONES O TEU POSTO DE SERVIÇO

Normas dos terreiros

Nossos Umbigos

O maior inimigo da Umbanda

O pequeno universo do umbandista

O Perdão Não tem Contra-indicação

O templo que vos acolhe

OBRIGAÇÕES NA UMBANDA

Obrigado, vovô

Oração do umbandista

Orixá de Cabeça

Os Caboclos na Lição de Pai João

Os médiuns são Parceiros

Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós!

Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orientada

Página inicial textos de Umbanda

Clique aqui.


Deste Site

Pai João de Angola
  • Ogum vencedor de Demanda
  • Fundamentos
  • Orações
  • Oxum
  • As pombas giras
  • Maria Padilha
  • Comida de Santo
  • Cosme e Damião
  • Giras de Umbanda
  • Homenagem a Zé Pilintra
  • Xangô senhor da Justiça
  • Yemanjá
  • banho de descarrego
  • Simpatias Diversas
  • Guias Contas e colares
  • Defumações
  • Batismo na Umbanda
  • Conselhos de Preto velhos
  • Escrava Anastácia
  • Marinheros na Umbanda
  • Pai Benedito
  • Homenagem a Tranca Rua
  • Baiano zé do Coco
  • Obá
  • Descarrego de Polvora
  • Ciganos na Umbanda
  • Sara Kali
  • Oxossi
  • Oxumarê
  • Preto-velho na Umbanda
  • Cabocla Jurema
  • Omulu-Obaluaie
  • Altar Virtual
  • Mãe Maria Conga
  • Boiadeiros na Umbanda
  • Descubra seu Orixá
  • Altar Virtual de exu
  • Altar Virtual dos Orixás
  • batizando-na-umbanda
  • Ossãim
  • O que è Caridade
  • Ogum em video
  • Caboclo boiadeiro
  • Ser Médium
  • Pontos e videos de defumação
  • Caboclos na Umbanda
  • Como acontece a Gira
  • reflexão em Videos
  • Conduta moral
  • Anjo da Quarda
  • Curiosidades
  • Intolerância Religiosa
  • Mediunidade
  • Corrente mediunica
  • Orações 2
  • tronqueira
  • Mensagens em slaides
  • Casamento na Umbanda
  • pontos cantados 2
  • Oxalá
  • Sincretismo religioso
  • Caracteristicas dos filhos
  • Altar dos Preto-velhos
  • Exu
  • Umbanda
  • Quimbanda
  • Orações das almas
  • hierarquia na umbanda
  • Livre se da Depressão
  • Reflexões
  • 7 chaves da Felicidade
  • Mensagens Espiritas
  • Tia maria de Minas
  • Minutos de sabedoria
  • Exus e pombas Giras
  • Mensagens de Otimismo e Fé
  • Convite aos Umbandistas
  • 13 de Maio
  • Combatendo o alcoolismo
  • Recomeçar de Novo
  • Superando as Percas
  • Perdoar a si mesmo
  • Decepções
  • Conceito Básico
  • Zumbi dos Palmares
  • Maria Bueno
  • Mini Série Oxum
  • Reconciliação
  • indiferença
  • desencarnar
  • Pontos Mp3 Orixás
  • O Médico dos médicos
  • Livro de Visitas
  • Corrente de Orações
  • Mensagem de Tranca-Rua
  • Conflitos Familiares
  • Amor e Ódio
  • Exu tiriri
  • Um abraço fraterno
  • Prece Aos Caboclos
  • O que Falta na umbanda
  • Mensagem de Vovó Maria Conga
  • Lições de sabedoria
  • Ajudar faz Bem
  • A umbanda que eu amo
  • Preto-velho x Exu
  • Frustrações
  • Batendo cabeça
  • Aprenda a Dizer Não
  • Insatisfação com a Vida
  • Oferenda de Marinheiro
  • Conselhos aos casais
  • Vovó Benta
  • Pai Cipliano
  • O Uso das velas
  • O luxo na Umbanda
  • Salmos Recomendados
  • Yansã
  • Pontos Riscados
  • Como combater a Inveja
  • Nanã de Buroque
  • Pai Guiné
  • Pai Tomé
  • Pai Antônio
  • Prece aos Orixás
  • Altar de Nossa senhora
  • Altar Virtual de Ogum
  • Altar Virtual de Oxum
  • Livro de Visitas 2
  • Ao mestre com carinho
  • Sabedoria de preto-velho
  • Fofocas no terreiro
  • Histórias de Preto velho
  • Aos médiuns da corrente
  • Orixá logum edê
  • História de Vó Cambinda
  • Pai Serafim de Aruanda
  • Pontos Cantados
  • Página inicial
  • descubra seu orixá
  • Assuntos Diversos
  • Oferendas de Exu
  • Oferendas para os Orixás
  • Pomba Gira Cigana
  • Oferendas a Yansã
  • Exu do lodo
  • EXU TATÁ CAVEIRA
  • Povo da Rua
  • Exu serpente
  • Exu Mangueira
  • Oração a Exu chama dinheiro
  • Exu Veludo
  • Oferenda para os preto-velhos
  • Oferenda de Boiadeiros
  • Oferenda ao Caboclo boiadeiro
  • Oferendas Básicas Umbandistas
  • banhos de abertura de caminho
  • Benzimentos
  • Caixa de Pesquisa do site
  • DICIONARIO DE UMBANDA
  • pai-Jeronimo
  • Religiões linhas sagradas
  • oferenda-de-ogum
  • Oferenda de Iemanjá
  • Ogum beira mar
  • Vovo Antonieta da Bahia
  • BARÁ
  • As águas de oxalá
  • Banhos Ciganos
  • Em sintonia com Deus
  • Lendas de Omulu
  • Lendas de Omulu
  • Caboclo pedra Roxa
  • Mensagem de Caboclos
  • Seu Zé Pilintra
  • Oferendas umbanda
  • Padê de Exu
  • Oração a Marinheiros na umbanda
  • Tudo sobre os filhos de Oxossi
  • Encruzilhadas de Ruas
  • Banhos de ervas
  • Lendas de Oxum
  • Prece a Zé Pilantra
  • Oração a santa Sara Kalli
  • Banho de defesa espiritual
  • Nossa Senhora da Conceição
  • Médium e guia
  • Características dos filhos de Ogum
  • Características dos Filhos de Oxum
  • Características dos filhos de Oxalá
  • Características dos filhos de Yansã
  • Características dos filhos de Omulu
  • Ervas e Orixás